Kellogg investe R$ 215 milhões para expandir operação da marca Parati

A Kellogg informou que "a nova estrutura está alinhada à estratégia de expansão da Kellogg e ao foco da empresa no Brasil, um mercado de grande relevância para a empresa".

Em 18/01/2018 21:46

Notícia por Agência de Notícias Qbo Mais

Kellogg investe R$ 215 milhões para expandir operação da marca Parati

A Kellogg, fabricante americana de alimentos, anunciou nesta quinta-feira (18) um investimento de aproximadamente R$ 215 milhões (US$ 66 milhões no câmbio de hoje) para expandir as instalações da Parati, localizada em São Lourenço do Oeste. De acordo com a companhia, serão construídas novas estruturas em 2018 e a expectativa é que entrem em operação em 2019.

A Kellogg informou que "a nova estrutura está alinhada à estratégia de expansão da Kellogg e ao foco da empresa no Brasil, um mercado de grande relevância para a empresa".

Em comunicado, Gustavo Rincón, vice-presidente da Kellogg no Mercosul, disse que a companhia fez uma análise detalhada de oportunidades para impulsionar o crescimento da marca Parati, que resultou no investimento atual.

A multinacional, no entanto, prefere manter em sigilo quantas unidades serão construídas, quais produtos serão fabricados nas novas unidades e em quanto pretende ampliar a capacidade instalada atual da Parati.

A fabricante brasileira de alimentos Parati foi adquirida pela Kellogg em outubro de 2016, por R$ 1,38 bilhão (US$ 430 milhões), tendo sido a maior aquisição da companhia americana na América Latina. À época, a Parati tinha uma receita anual próxima de R$ 600 milhões, 3,2 mil funcionários e duas fábricas, localizadas em São Lourenço do Oeste e Natal.

A Parati produzia em 2016 em torno de 100 mil toneladas de alimentos por ano, com oferta de 150 linhas de produtos, entre biscoitos, aperitivos, barras de cereais, cereais matinais, refrescos em pó, caldo, macarrão e panetone. Além da marca Parati, a Kellogg também passou a ser dona de marcas como Trink, Hot Cracker, Minueto, Zoo Cartoon, Pádua, Bom de Bola e Granofibra. As marcas e linhas de produtos foram mantidas, mas a companhia não informou qual o volume de produção atual.

Toda a estrutura do Grupo Parati foi mantida desde a aquisição, incluindo as duas fábricas e os 3,2 mil funcionários.

Quando comprou a Parati, a Kellogg estava interessada em avançar no mercado de biscoitos e lanches e reduzir a sua dependência no Brasil da venda de cereais matinais e barras de cereais. A empresa é dona de marcas como Kellogg's, Keebler, Special K, Pringles, Sucrilhos, Pop-Tarts, Corn Flakes de Kellogg's, All-Bran, Cheez-it, Corn Pops e Froot Loop.

Nos nove primeiros meses de 2017, a Kellogg registrou uma queda de 2% na receita líquida global, para US$ 9,71 bilhões, resultado pressionado por mudanças em preços no mercado americano.

Sem citar números, a companhia informou que teve crescimento em receita de vendas no Brasil, com a aquisição da Parati, que por sua vez apresentou boa performance. Já o lucro líquido global avançou 12,6% no mesmo intervalo, para US$ 841 milhões.

A companhia divulga os resultados globais do quarto trimestre e do ano de 2017 no dia 8 de fevereiro.

Fonte: Valor Econômico Foto: Divulgação

 


Tags da postagem

investimento São Lourenço do Oeste 2018 Metas e Foco em Atingi-las Kellogg Parati Expansão