Seguro DPVAT, para que serve?

A colunista Luciana Zanco, aborda o tema ressaltando em quais casos a vitima pode requerer o beneficio.

Em 03/07/2019 19:37
Atualizado em 04/07/2019 07:47

Opinião por Luciana Zanco

Seguro DPVAT,  para que serve?

Nunca sabemos quando o pior está por vir, mas às vezes ele vem e precisamos lidar com isso. Assim, surge a necessidade de termos direitos que venham em benefício da reparação do dano.

Conforme dispõe a Lei 6.194, de 19 de dezembro de 1974 e suas alterações, poderão requerer o seguro DPVAT pessoas transportadas ou não, que foram vítimas de acidentes causados por veículos automotores de via terrestre, ou por sua carga.

Desta forma, o seguro obrigatório garante a indenização por despesas médicas e suplementares, invalidez ou morte da vítima.

Os valores são pagos de acordo com o caso concreto, e em observância ao que dispõe o art. 3° da Lei 6.194/74.

Via de regra, a indenização será paga mesmo nos casos em que o veículo envolvido não esteja em dia com o DPVAT.

O prazo para requerer a indenização será de 3 anos contados a partir da data do acidente, com exceção aos casos de invalidez permanente em que o prazo começa a ser contado a partir da descoberta da atual situação da vítima.

Por ser uma garantia de caráter social, a indenização será paga independentemente de apuração de culpa dos envolvidos.

Para obter mais informações em relação aos seus direitos, procure pessoas especializadas no assunto.

Curtiu nossa coluna? Compartilhe! Esclarecimentos, e/ou sugestões de assuntos podem ser encaminhados para nosso contato de e-mail abaixo.

Dra. Luciana Zanco  
lucianazancoadv@gmail.com

Foto:freepik

 

Patrocine esta coluna!

Ligue 49 9 9111-4949


Tags da postagem

Acidente Vitima de acidente Quilombo Mais Seguro DPVAT Beneficio DPVAT Assessoria para DPVAT auxilio acidente despesas médicas Dr. Luciana Zanco Advogada Advogada Luciana Zanco informação Formosa do Sul Santiago do Sul União do Oeste Irati Jardinópolis Quilombo SC São Lourenço do Oeste/SC Chapecó SC brasil 03 de julho de 2019 pra quê AZ Coluna Jurídica orientação