Alta liderança da UPL no Brasil é composta em 20% por mulheres

Empresa de soluções agrícolas quer ampliar a presença feminina no campo e tem investido constantemente na ampliação da equipe de mulheres

Em 26/03/2020 13:52

Reportagem por Agência de Notícias Qbo Mais

Alta liderança da UPL no Brasil é composta em 20% por mulheres

Para ser uma das maiores empresas de soluções agrícolas do mundo, a UPL investe no bem mais precioso que cultiva: seus colaboradores. A companhia, de origem indiana, nasceu tendo a diversidade como valor firmado em raízes profundas. Um exemplo: atualmente, 20% de sua alta liderança são mulheres.

“A UPL não aceita a diversidade: a UPL adora a diversidade. Desde o início, temos nos pautado nesse pilar. O direito das minorias, que muitas vezes são maiorias, sempre foi respeitado de forma natural em todas as funções da empresa”, diz Maria da Conceição Guimarães, a primeira mulher com cargo na direção da empresa, à frente dos recursos humanos.

Engenheira agrônoma e especialista em gestão ambiental, Conceição – como é conhecida – está há mais de 30 anos no mercado e desde 2006 lidera a equipe de RH da UPL no Brasil. Anualmente, centenas de currículos passam por sua equipe, que tem investido em processos seletivos e remunerações igualitários, independente da questão de gênero. “Nossa política salarial é igual para mulheres e homens no mesmo nível. A qualidade profissional não se mede pelo sexo”, diz.

Atualmente, a UPL conta com 134 mulheres em seu quadro de funcionários, o que representa 17,47% do total de colaboradores. Esse percentual tem crescido ano a ano, especialmente no campo. “Desenvolvemos um programa chamado ‘Mulheres no Campo’, que visa atrair ainda mais mulheres para a atuação na agricultura, o que, sem dúvida, contribuirá muito para o sucesso do nosso negócio”, destaca.

“A UPL quer aumentar o número de mulheres no campo. Em Campinas (SP), onde fica nossa sede administrativa, temos várias. Queremos essa diversidade também nas fábricas e nas divisões comerciais: e não só mulheres, mas também negros, homossexuais e pessoas com deficiência. Essa questão está na nossa essência”, relata a diretora de RH.

Conceição – que na década de 1990 foi uma das primeiras mulheres no país a desempenhar a função de representante técnica de vendas (RTV) no campo – entende que todos esses detalhes fazem da UPL uma empresa “aberta”. Não à toa, em 2019, essa palavra foi incorporada à filosofia global da companhia, que se tornou uma “OpenAg” – aberta não apenas à agricultura, à inovação, à tecnologia, mas também à diversidade, à igualdade e à força de uma equipe que tem crescido e contribuído ativamente para a geração de alimentos de qualidade para a população mundial.

Sobre a UPL

A nova UPL é líder na cadeia de produção de alimentos global e, com a aquisição da Arysta LifeScience, torna-se uma das 5 maiores empresas de soluções agrícolas do mundo. Com receita de aproximadamente US$ 5 bilhões, a nova UPL está presente em 76 países, com vendas para mais de 130. A empresa conta com mais de 10.800 pessoas em todo o mundo. Com acesso ao mercado global para a cadeia de alimentos e focada em regiões de alto crescimento mundialmente, nosso objetivo é transformar a agricultura através do propósito OpenAg, uma rede agrícola aberta que alimenta um crescimento sustentável para todos. A nova UPL oferece um portfólio integrado de soluções agrícolas patenteadas e pós-patente para diversas culturas, incluindo produtos para proteção de cultivos, soluções biológicas e tratamentos de semente para toda a cadeia.


Tags da postagem

agricultura agronegócio diversidade dia da mulher